Busca no site 
 NOTÍCIAS
 
Movimento Antimanicomial de Minas Gerais levará loucura e resistência às ruas de Belo Horizonte
 
Para manifestar o Dia Nacional da Luta Antimanicomial de 2013, a escola de samba “Liberdade Ainda que Tam Tam” irá desfilar pelas ruas de Belo Horizonte, reafirmando os princípios antimanicomiais e propondo a construção de um caminho real e possível para a liberdade de todos, ainda que tam tam. Formada pelos usuários, familiares e trabalhadores dos serviços substitutivos em saúde mental da Região Metropolitana de Belo Horizonte e cidades do interior do estado, a escola de samba espera mobilizar cerca de 4 mil integrantes na manifestação político-cultural deste ano.

De forma lúdica, sensível e crítica, a escola é uma estratégia do movimento da Luta Antimanicomial de Minas Gerais, que há 16 anos movimenta a capital, provocando reflexões sobre o lugar social da loucura em seu encontro com a arte e o pensamento. A manifestação, que tradicionalmente acontece no dia 18 de maio - data instituída como o Dia Nacional da Luta Antimanicomial, este ano, será realizada no dia 16 de maio.

Seis alas irão compor o desfile, que tem sua concentração marcada para 13hs, na Praça da Liberdade, com previsão de saída às 14hs. Além dos integrantes da “Liberdade Ainda que Tam Tam”, diversos movimentos sociais urbanos já confirmaram participação no desfile.

Com o tema “Se não nos deixam sonhar, não os deixaremos dormir”, o Dia da Luta Antimanicomial deste ano traz a resistência como questão central para afirmar a importância da Luta Antimanicomial, com toda sua humanidade e liberdade, frente ao conservadorismo e à mercantilização da vida. Em 2013, a “Liberdade Ainda que Tam Tam” convoca a sociedade a resistir contra os retrocessos anunciados no âmbito das políticas públicas que garantem os direitos humanos e sociais.A manifestação é organizada pelo Fórum Mineiro da Saúde Mental, composto por trabalhadores, usuários e familiares da rede de saúde mental de todo o estado, pela ASUSSAM (Associação dos Usuários dos Serviços de Saúde Mental de Minas Gerais) e representantes de conselhos de classes. Participam também representantes de movimentos sociais, culturais e outras organizações da sociedade civil.

Saiba AQUI maiores informações sobre o Dia da Luta Antimanicomial em Belo Horizonte.